quinta-feira, 12 de julho de 2007

Vá à Barbearia

bem, para quem não sabe, eu estou organizando um encontro semanal aqui em BH chamado Barbearia de Blues

é um encontro semanal, completamente informal, todos os sábados de 17 às 19h, onde basta chegar e tocar, toque vc o instrumento que for, bem ou mal. a idéia é criar um ponto de encontro para quem gosta de blues, coisa que não há aqui em BH.

o horário também foi cuidadosamente escolhido para não conflitar com show nenhum, e o bar cobra apenas uma consumação de R$ 5

nas barbearias anteriores, apareceram diversas pessoas procurando aula de gaita, e como sempre, direcionei para os tradicionais professores da cidade: Ferrari, Marcelo e Pedro.

ai hoje eu vi o seguinte comentário sobre a barbearia no orkut

Cara, essa semana eu fui até procurar saber mais sobre, saca? Só pra ter mais uma opinião.

Então, perguntei pro meu professor de gaita... No final das contas, ele disse:

"pois é, é um tanto de gente que gosta de blues, mas não toca porra nenhuma, então até que ponto é interessante divulgar um evento assim? Eu mesmo não vou, pq vivo disso, vou lá ensinar o cara a tocar direito?"

Resumindo, ele me desencorajou veementemente a ida, auheuhaeuh.


Confesso que fiquei um pouco chateado ao ler isto, pensando em todos os alunos que foram dar dinheiro aos professores de gaita da cidade por indicação minha, muitos oriundos da própria barbearia. Mas ao mesmo tempo, prefiro acreditar que existe mais gente equivocada e mal informada do que gente realmente que age de má fé. ;-)

Bem, vou tentar defender o ponto e a razão da barbearia aqui ;-)

Quando eu estive em Washington DC, ano passado, a trabalho, eu não conhecia quase ninguém, não tinha dinheiro sobrando nem carro. Mas descobri que tinha um lugar onde tinham jams semanais e abertas de blues e fui conferir.

Esse lugar foi como um oásis para mim. As pessoas lá eram receptivas, conheci músicos de todos os níveis (alguns realmente muito bons) e ninguém se importava se o outro tocava bem ou não, realmente. Todos pareciam estar felizes apenas por estar ali, perto uns dos outros, celebrando o blues, batendo papo e tomando cerveja a tarde toda, aquecendo para o sábado à noite.

Foi quando me caiu a ficha de que BH não tinha um ponto de encontro para as pessoas que curtem blues. Tem certamente bons shows, com músicos da melhor qualidade, mas o público sempre como ouvinte. Às vezes, um gaitista perdido tocando escondido durante o show, como se estivesse acompanhando uma música de um CD.

Então, no ano passado, experimentei por várias vezes pequenos encontros deste tipo, onde conheci muita gente que gosta de blues, gente bem mais nova do que eu, contradizendo minha teoria pessoal de que o blues estava morrendo na cidade. E gente muito boa ali no meio, gente de quem eu nunca havia ouvido falar.

O projeto da barbearia de blues é para estas pessoas. É um lugar onde elas podem ir e tocar, ou não, se quiserem, sem serem julgadas, pq no fim das contas, estamos sempre aprendendo a tocar e sempre aprimorando nossos conhecimentos, e quanto mais estudamos, mais ficamos cientes da nossa ignorância.

Não é um palco. É uma celebração. É um lugar para bater papo e ter a garantia de que a música é boa e que o gosto das pessoas coincide com o seu. Eventualmente, alguém mais experiente pode dar seus toques aos iniciantes.

No comentário citado, o professor de gaita faz uma pergunta pertinente: vale a pena divulgar um evento destes?

Se estivermos falando de um show de blues, eu digo que não vale a pena não. Nada ali é ensaiado, as pessoas ali não são profissionais, alterna-se momentos de brilho com momentos confusos, mas acreditamos que muito da alma do blues vem dali.

Mas se estivermos falando de uma manifestação cultural que emana das pessoas que gostam de blues, e de um ponto de encontro onde uma comunidade de blues nascente pode crescer e se desenvolver, apoiada em valores como a solidariedade, a igualdade, a espontaneidade e a amizade, então este é o lugar onde vc deve ir.

A barbearia não é um lugar onde uma pessoa que toca bem recebe para tocar. É um lugar onde você toca por prazer. É por isto que nao tem couvert artístico, mas consumação, para apoiar a casa, que apóia o evento.

Eu gostaria que os professores de gaita fossem também? Gostaria. Iniciativas semelhantes em Santos (BBF) e Campinas (Pizza e Blues) envolvem professores e alunos engajados, que sabem que o melhor lugar para tocar é com os amigos, onde se desenvolve a linguagem e o improviso do blues. Sem contar, claro, as amizades em torno do gosto comum, que às vezes duram vidas inteiras.

Iniciativas que colocam os iniciantes para tocar servem para cultivar o futuro do blues. O ambiente da barbearia aproxima músicos, ajuda a criar bandas e apoio entre os artistas, valorização do trabalho de professores e profissionais. Tudo o que o blues precisa para crescer forte e saudável. ;-)

Sem contar que a existência de um lugar como este é sempre uma garantia para quem mora aqui e para quem NÃO mora aqui de que sempre vai haver um lugar onde o fã de blues será sempre bem vindo nesta cidade.

Por isso, vá na barbearia. Você vai ver que o blues é legal pacas ;-)

Todos os sábados. http://www.barbearia.org

5 comentários:

  1. é, é uma pena mesmo.
    abraço

    ResponderExcluir
  2. quer saber? continuo divulgando.

    investir na barbearia aqui em BH, no mínimo, me fez conhecer um monte de gente legal. Sö isso prá mim já valeu o esforço

    ResponderExcluir
  3. fala kenji,

    Esse tipo de opinião é realmente de um professor com uma visão pequena sobre a sua própria careira.
    Todos nós sabemos que o espaço para o blues, e para a gaita é restrito. Por mais que vc esteja tocando e tenha uma boa recepção para a sua música, o nosso público (público do blues e da música boa) é reduzido. Toda iniciativa para unir, formar público de blues é válida.

    Como professor ele ainda não pensou que esta é uma possibilidade de levar seus alunos para praticar os seus estudos. Além de ser uma ótima possibilidade para conseguir novos alunos.

    Nosso evento aqui de campinas, O Pizza & Gaita, que é inspirado na barbearia, tem se tornado um sucesso, além de aproveitarmos a data para fazer um workshop. Tem sido um grande agregador de valores em nossas carreiras (falo por mim, e pelo Xavier e Eisinger também). Na minha opinião a grande curtição esta em poder tocar ao lado de grandes músicos e de iniciantes.

    a música não é uma competição, e sim a curtição de fazer o som. Lógico que é muito bom tocar ao lado de grandes músicos, mas o importante é fazer o seu som, e curtir.

    Como diz um amigo nosso, o Edu da Sanfona, grande sanfoneiro de Campinas, que tem trabalhado muito com musica instrumental brasileira, e uma presença garantida no nosso "Pizza & Gaita": "Sou músico profissional sim, mas com coração de Amador, de quem ama o que faz".

    Kenji, continue seu ótimo trabalho. Faz diferença sim. Com certeza o seu papel difundindo a gaita blues é muito reconhecido. Sinta orgulho de seu trabalho.

    Um Grande abraço

    ResponderExcluir
  4. nunca tive saco pra ficar assistindo show. O que me empolga é ir a um lugar onde todo mundo tem seu espaço, compartilham idéias e experiências.

    ResponderExcluir