terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Luiz Rocha pergunta, Kenji responde

Luiz Rocha mandou essas perguntas prum monte de gaitistas, mas achei interessante jogar aqui.

A discussão completa vc vai poder acompanhar no ótimo blog do Luiz

http://bahiarmonica.blogspot.com/

1 - Muitas vezes ao passar o som, tocando somente a gaita, sem outro instrumento tocando simultaneamente, a gaita parece estar com volume alto o suficiente para se destacar, porém quando entra a banda inteira, ela some, se diluindo "no bolo". Vc já passou por isso? Comente sobre o assunto, falando sobre as causas e dicas que você conhece para se evitar essa situação.


um problema que eu vejo é que, geralmente, o que acontece é que um da banda aumenta e todo o resto segue. E como a gaita é a primeira a dar microfonia, ela leva a pior :-)

prá resolver, só escolhendo músicos que consigam tocar bem sem ter que aumentar demais o volume.

teve uma vez também que o que aconteceu foi uma gaita low F subir perto do som do contrabaixo. neste caso, eu na minha santa ignorância, simplesmente peguei a F normal.

2 - É verdade que para um guitarrista tocar numa banda, existem caminhos e formas diferentes de se explorar a guitarra nas condições de ter ou não ter um gaitista na banda? Já ouvi falar sobre guitarristas muito bons, mas que as vezes não sabem se comportar quando há uma gaita no palco. O que seria exatamente esse comportamento? O que um guitarrista poderia fazer para dar melhores condições do gaitista ter mais destaque?


não é difícil encontrar guitarristas que simplesmente odeiam gaitistas e que acham aquelas jams e solos intermináveis de gaita a coisa mais chata do mundo. Prá dizer a verdade, até eu acho isso em muitos shows. Em alguns casos, é o ego do guitarrista, mas muitas vezes é pq o gaitista é sem noção mesmo. O fato é que, prá quem é gaitista, é fácil achar que a melhor parte da música, pro ouvinte, é o solo de gaita, quando na verdade a música geralmente precisa de um certo equilíbrio prá agradar à maioria.

acho que é por isso que tanta gente não-gaitista gosta do Milteau.

o palco é um espaço social, e onde se junta um monte de gente, prá tudo fluir legal, é bacana que haja uma certa cortesia entre todo mundo. Mas eu acho que, embora as jams sejam divertidas pros gaitistas, geralmente as músicas bem ensaiadas (ou com espaços de solos mais limitados) acabam funcionando melhor pros ouvintes.

falo mais na posição de ouvinte que de gaitista. Bem, eu diria que eu ouço muito melhor do que toco ;-)

grande abraço a todos, feliz 2009

Kenji

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Direitos Autorais e Youtube

Quando eu ajudei a organizar o primeiro cd do gaita-l, tivemos uma grande discussão sobre a questão dos direitos autorais. Tentamos colocar no CD apenas músicas que "não dariam problema", mas ao longo da série, acabamos colocando algumas músicas de outras pessoas.

Escolhemos arriscar, visto que o cd nunca chegou a ter muito mais de 100 exemplares em cada edição, e que o intuito não era lucrar em cima do trabalho dos outros, pois era praticamente distribuído apenas entre o pessoal do gaita-l mesmo. Não muito diferente de compartilhar música na web. Que vale lembrar, é igualmente ilegal.

E assim a web vai. Ignorando os direitos autorais, O primeiro fórum harmônicas do Ceará trouxe o assunto à discussão inclusive. Mas o fato é que na web, isso faz pouca diferença. As pessoas mandam para o youtube clipes, bandas tocando músicas diversas, ignorando completamente as regras de direito autoral.

Eu inclusive. Só que outro dia, fui avisado pelo youtube que um vídeo que eu tinha colocado lá, do Leandro Ferrari e Hilmara Fernandes tocando "Que o Deus Venha", do Cazuza, no Utópica, havia saído do ar. Bem, avisei os dois, pq era um vídeo com muitos acessos, e que, creio, que mesmo sem respeitar os direitos autorais, contribuía de alguma forma para a divulgação do trabalho destas pessoas.

Bem, hoje eu descobri qual era a história. Com a crise, o youtube está rompendo contratos e tirando o conteúdo com direitos autorais do ar, com medo de tomar processos. Não só isso, mas é evidente que, um serviço que consome uma das coisas mais caras da rede, como a banda larga, acabaria por ter que encontrar uma forma de fazer dinheiro. O Google é rico mas não ganha dinheiro do nada. Aguarde em breve por comerciais no youtube.

Não só isto, mas a recessão vai forçar a web a se tornar cada vez menos "free", por isso, aguarde algo do tipo no myspace também.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Ferrari, Avanzato e Piassi



parece divertido. eu iria.

ps. eu sei. este blog quase não publica coisas do Ferrari, mas é um gaitista de primeira que tenho em alta conta. Ao lado, nos links, tem o link pro site dele. Não é difícil achar ele no orkut, no myspace, dando aulas no skype e etc. Fiquem espertos e acompanhem a agenda do cara.

eles abriram a porta

e eu entrei e fui logo colocando o pé em cima da mesa e pegando a cerveja da geladeira

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

mais gaitas

aí eu comprei uma gaita bluesmaster da suzuki (prá ver qualé a da suzuki) e uma gaita hering smilinguido, evangélica, de plastico, a única opção razoável de gaita para crianças muito pequenas que eu conheço (R$ 12 e toca de verdade, peças de plástico)

na HM. Claro. A única loja de gaita do Brasil onde eu peço gaitas e ganho de brinde uma linda roupinha para a Teresa, que deve nascer em Abril ;-)

não conferi a suzuki ainda. a caixa de plástico é bojuda, a gaita é bonita. vamos ver se é boa.

domingo, 18 de janeiro de 2009

SBB faz 10 anos

nem parece que já tem 10 anos

minto. parece sim. até mais. esse pessoal sempre deu duro. e têm feito um belo trabalho na divulgação do blues no Brasil.

sábado, 17 de janeiro de 2009

verdade seja dita

a gaita-chaveiro da bends é melhor que a gaita-chaveiro da hering

de verdade.

Timponi hoje no Dalva

Timponi e o Déjà Vu no Dalva (Praça da ABC),
neste Domingo
a partir das 16:30h.
Bossas, sambas, canções bem brasileiras e um pouquito de Jazz.
Couvert 4,00.

vale a pena conferir

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Sobre a Pizzaria do Benê em Curitiba (By Clara)

Segue ai o meu post sobre a pizzaria do Benê.

A pizzaria do Benê, também conhecida como Pizza Mais, fica ali no Alto da XV, rua Itupava, 828, Curitiba. Bairro bem simpático, relativamente perto do centro e fácil de chegar.

Estive lá nas duas últimas vezes que fui a Curitiba. Na primeira vez estava bem curiosa para conhecer a tal pizzaria do Benê.

Já cheguei gostando do ambiente, luz intimista, lugar aconchegante e perto do caixa tem uns quadros de gaita, com fotos do Borrah Minevitch, dos bluseiros que o Benê admira, os cds da Orquestra e do Misterjack como se fossem "discos de ouro", um papel antigo onde veio embrulhado uma gaita, enfim uns quadros bem divertidos.
Lembrou umas fotos da casa do Kenji...

E do lado oposto a essa "parede de gaita" fica um piano e os quadros da Ana, a namorada e sócia do Benê. Dá pra ver que é uma pizzaria bem musical, seus donos são musicais, um gaitista bom pradaná e uma cantora bem afinada que diz arranhar também no piano (dúvido que só arranhe, ela tava escondendo o jogo...)

Eu como "pizzeira" profissional já cheguei perguntando se tinha catchup na mesa. Ufa! não tinha, porque se tivesse já iria perder uns pontos comigo,hehe Nada contra a quem ponha catchup na pizza, mas eu, como boa paulistana, acho um sacrilégio e um tremendo mau gosto. (Desculpem os amigos cariocas e gaúchos).

As pizzas agradaram muito, na primeira vez seguimos a sugestão do Benê e pedimos a Escandinava, por ser uma pizza colorida e visualmente muito bonita que misturavam sabores. Bem boa, massa fininha, os recheios não brigavam entre si, gostei, gostei. Claro que ser atendida pelo Benê tem todo um charme especial, ele é bem divertido, faz um jeito sério e brincalhão.

Ainda tivemos o privilégio de tê-lo sentado conosco (na primeira vez, eu, Rafa, Fernando e o Guga da Troupe), contando os "causos", relembrando as histórias.

Virei fã e voltei outras vezes. Além das boas pizzas, aproveite para provar as tradicionais e as doces (hum a de chocolate é megaboa - a Paula e eu viramos devotas - e a de banana nevada tb), na pizzaria do Benê acontecem uns pocket shows. Falei que era uma pizzaria musical :)

A Troupe da Gaita faz alguns "ensaios abertos" lá, o Benê e Marcelo tocam às quintas um repertório super variado e uma pianista toca aos domingos, eu acho. Sei também que virou ponto de encontro do pessoal da Troupe após os ensaios de terça.

E no mês de janeiro, de 18 a 28, a pizzaria vai ser o circuito extra-oficial do Festival de Música de Curitiba. Só gente boa vai aparecer para uma canja: Gabriel Grossi, Flávio Guimarães, Troupe e alguns professores das oficinas de música. Gostaria estar em Curita nessa época...

Além de tudo isso, eu, o Geison e a Paula pudemos brincar de pizzaiolos por uma noite. Invadimos a cozinha, tivemos uma aulinha com o mestre de verdade e preparamos a nossa pizza-gaita. Até que o sabor ficou bem bom, heheh

E se você for "amigo da diretoria", ainda pode ficar depois que a pizzaria fecha e ouvir a cantoria da Ana e suas amigas, sempre uns clássicos do cancioneiro popular, ou o Guga tocando piano.

A Ana é uma história a parte, eu diria que é a versão paranaense da Lud (para quem conhece a Lud, sabe que é um super elogio). Uma garota alto-astral, divertida, boa de papo, que não dá vontade de largar mais.

Enfim, a Pizzaria Mais vale a visita, vale voltar de novo e ainda pode pedir pizza pela telefone. Claro que na" tele-entrega" você perde toda a diversão, hehehe

Eu acho que deveriam rolar uns encontros do "Pizza e Gaita" lá também (fica a sugestão para o povo de Campinas expandir as fronteiras). Tem tudo a ver!

Ah! se você for "mais amigo da diretoria" ainda peça uma visitinha a casa do Benê. Ele tem uma coleção de LPs admirável e um quarto com coisas de gaita beeem interessante. Dá pra ficar horas se divertindo por lá.

beijos,

Clara

a melhor pizza


quem faz é o Benê

Foto: cortesia da Clara. Thanks Clara!

Mais vídeos da barbearia

http://www.youtube.com/user/bluesheritage

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Quando vem, vem junto

Pessoal,

Nesta sexta-feira, minha banda vem a BH tocar um blues.
Como em janeiro não tem muito o que fazer por aqui, fica o convite.
Estão todos convidados...

Cartaz no anexo.

Clique no link abaixo e confira...

http://estacaoblues.blogspot.com/

Serviço

Sexta-feira 16/01
21:00
Status Café – café, cultura e arte
Rua Pernanbuco, 1150 – Savassi – Belo Horizonte/MG. Tel: 31 3261-6045
www.livrariastatus.com.br

Direito de Resposta da Bends

O Melk me perguntou se eu poderia postar o email dele, em nome da Bends, relativo ao post "embalagem para gaitas" postado neste mesmo blog.

A minha resposta, obviamente, é sim. Até porque, tive experiências muito ruins anos atrás numa certa comunidade do Orkut, onde os moderadores resolviam simplesmente apagar alguns posts meus que perguntavam qual era o(s) pior(es) gaitista(s), alegando que aquela discussão não traria nada de bom.

Bem, o que eu acho que não traz nada de bom é a censura, mas isso é coisa de gente rabugenta que nasceu na década de 70 e que viveu num país bem pior que o nosso atual, pelo menos no quesito liberdade de expressão. Sei lá, alguns dizem que têm saudade dessa época. Provavelmente não estavam lá para ver as arbitrariedades, as injustiças e etc.

Mas isso é outra história.


Olá Kenji.

Um ótimo 2009 para você e todos os seus leitores.

Aqui em casa estamos todos bem e com a novidade e grande alegria do nascimento da nossa filha Júlia em dezembro de 2008.

Já no âmbito profissional queremos compartilhar com todos vocês a participação da Bends Harmônicas - pelo 2o. ano consecutivo da maior feira de instrumentos musicias dos Estados Unidos a NAMM 2009.

Gosto muito dos seus comentários aqui no blog, e gostaria de deixar aqui a nossa participação (Bends Harmônicas) em relação ao seu questionamento e até mesmo como formador de opinião já que aqui o foco é de gaitistas e apaixonados por gaitas.

Todo esse empenho em criar a Bends foi por um sonho meu e da minha esposa Renata porque amamos a música e a gaita.

A Renata é atriz e cantora e eu gaitista e comecei os meus estudos com a gaita desde 1996.

Para quem quiser por ver toda a história de como surgiu a Bends, no depoimento dos seus idealizadores seguem abaixo os links, os quais convidamos a assistirem e sentirem conosco as emoções pelas quais passamos até os dias de hoje, foi gravado no Stand da Bends na Expomusic 2008.

Parte 1

http://br.youtube.com/watch?v=pIbpduQoXxI&feature=channel_page

Parte 2

http://br.youtube.com/watch?v=FglvixEfJPs&feature=channel_page

Parte 3

http://br.youtube.com/watch?v=U3oBdfJGWBY&feature=channel_page

Parte 4

http://br.youtube.com/watch?v=TFAowAw_Xlc&feature=channel_page

Parte 5

http://br.youtube.com/watch?v=hZ9kype4Cf4&feature=channel_page

Acima é possível encontrar todo o nascimento da Bends.

Sobre custo X benefício

Antes de começar a responder objetivamente sobre a questão custo x benefício gostaria de propor repensarmos o benefício x custo Para chegar a um custo, devemos avaliar os benefícios que a marca, produto ou serviços oferecem. Para ajudar a responder a esta pergunta copio abaixo parte de um artigo que penso pode nos ajudar nesta questão.

"Quanto valem os produtos? Para responder essa pergunta, é necessário que se faça uma pergunta anterior ela: O que é valor? Valor não é o menor preço como muitos pensam. Valor é a equação da relação custo X benefício. Legal, o que isso quer dizer? Vamos fazer a seguinte simulação: Você está em uma festa e a cerveja acabou. São 3:00 da manhã e você não quer que festa acabe por causa da cerveja. Então você sai, pega seu carro, para em um loja de conveniência e compra a cerveja GELADA mais caro do que você pagou na cerveja quente no supermercado e você sabe disso! Naquele momento a cerveja MAIS CARA era a melhor opção porque estava perto e gelada. O benefício nesse caso era a festa não parar e você pagou mais caro por isso, mesmo assim valeu a pena!

Isso é valor. O desafio é atingir o menor custo possível e prestar o maior benefício e nem sempre o benefício está no produto, mas sim na diferenciação do produto, na prestação de serviços ou na qualidade do mesmo.

Compradores, o preço nem sempre é o único fator no processo de decisão de uma compra! Os serviços prestados pelos fornecedores lhe trazem benefícios e devem ser ponderados até a medida ideal de quanto eles valem. "

Fernando V.Gui - Diretor de marketing - Cactus do Brasil"

Embalagens

Ficamos imensamente felizes com seu comentário a respeito de nossas embalagens. A Bends foi a primeira empresa a ir além e se preocupar com o modo adequado de guardar sua gaita. Por isso criou cases exclusivos, anatomicamente desenvolvidos para acomodar cada um dos diferentes modelos de harmônicas. O material utilizado para produzir os cases é o E.V.A, escolhido pela resistência, por não soltar fiapos e por ser mais higiênico. Outra característica marcante dos cases é o design: funcional e charmoso. Já o fechamento é feito por um zíper que, além de prático, evita a abertura do case em caso de queda. Tudo isso porque a Bends compartilha o seu amor pela música e o cuidado que você tem com sua grande amiga, a gaita.

Veja abaixo a característica de cada case estojo projetor para os diferentes produtos Bends:

Case Bends Anima: mantém a sua gaita em perfeito estado, mesmo com o uso diário. Case com o exterior e interior na cor vermelha.

Case Bends Adágio: cuida do timbre aveludado e macio da gaita, proporcionando maior durabilidade ao instrumento. Case vermelho com o interior na cor preta.

Case Bends Juke: toda reverência ao passado em um glamouroso case na cor preta com interior em vermelho.

Case Bends Croma: o visual moderno e os elementos personalizados do instrumento merecem um case à altura de sua qualidade. Case preto com o
interior na cor cinza.

Case Bends Allegro: comece o estudo das cromáticas guardando sua harmônica num case especialmente desenvolvido para ela, com o exterior e interior na cor vermelha.

Case Bends Tonica: quem domina a gaita cromática sabe que a Tonica deve ser guardada com todo o zelo, num case seguro e charmoso na cor preta com o
interior em cinza.

Case Kit Bends Duo: a gaita diatônica e a cromática guardadas com o mesmo cuidado, num lindo case com o exterior e interior na cor vermelha.

Case Kit 7 Gaitas Bends Anima: escolha os tons sabendo que, depois de tocar, as gaitas estarão seguras em um elegante case, com o exterior e interior na
cor vermelha.

Case Kit 7 Gaitas Bends Adágio: o case é macio e único, como o timbre da gaita que dá nome ao kit. Case vermelho com interior na cor preta.

Case Kit 7 Gaitas Bends Juke: suas gaitas guardadas com o tratamento digno de tudo que é adorado, como o blues. Case preto com o interior em vermelho.

Eu como gaitista gosto disso, antes de criar a Bends, por várias vezes a minha gaita caiu no chão com as tradicionais embagens de plástico e dá para
imaginar o que aconteceu? - Isto já aconteceu com vocês?

Na expomusic de 2008 lançamos a Bends Prima onde a sua embalagem é de blister, vem sem o case/estojo protetor e é uma gaita que lançamos pelas solicitações e comentários dos gaitistas que tiveram contato com ela é inspirada portanto na lembrança dos nossos primeiros protótipos amarelinhos (igual aquele que você ganhou). Seu valor é menor do que outros modelos de gaitas Bends que oferecem outros benefícios adicionais. A idéia é poder ter valores diferentes baseados nos benefícios reais que cada gaita oferece.

Outra coisa, não somos nós que fazemos o preço no mercado a Bends tem um custo indústrial de produto e a loja tem a sua margem que vai variar de região para região... e nós não temos poder sobre quando cada loja vai colocar de lucro sobre o produto. Indicamos aos nossos consumidores pesquisarem preços e comprarem onde encontrarem o produto mais em conta.

Não quero entrar aqui no assunto de formação de preços porque acho que ficaria longo e chato,mas o valor da embagagem para nós não é o seu custo, as sim o que ela promove ao instrumento.

Por fim, uma última pergunta: O que vale mais, um produto fornecido de maneira simples, a R$ 100,00 ou o mesmo produto entregue com uma embalagem inovadora, com manual de instruções, garantia, suporte técnico e possibilidade de participar em Workshops gratuitos a R$106,50? Por quê?

Quantas gaitas e para quem?

Quando idealizamos a marca e os produtos, pensamos na história da gaita no Brasil e no mundo, pensamos no que as pessoas e mesmo as indústrias de gaitas no passado fizeram pela gaita. Ouvimos através de pesquisas e encontros regionais em diversos estados brasileiros, gaitistas e lojistas para descobrir quais eram "as dores" do mercado, quais os desejos e aspirações não atendidas, visando resgatar a cultura das gaitas que em tempos atrás foi mais forte e isto se perdeu com o tempo. Contratamos consultorias especializadas em marca e em desenvolvimento de produtos, com
objetivo de lançar verdadeiros diferenciais na identidade da marca e na concepção dos diferentes modelos dos produtos Bends, cada modelo tem um porque e tem um sentido único de ser para atender diferentes necessidades de clientes e consumidores de diferentes estilos e exigências.

Vamos imaginar uma coisa...

Se a Bends tivesse feito tudo igual a todas as outras, pensando na idade de cada indústria de gaita no mundo, o que faria a Bends ter sucesso e vender os seus instrumentos?

Pensamos em estratégia de diferenciais. Tenha certeza que a Bends ainda trará muitas novidades para o mercado, pois sabemos que a música, o músico e a gaita tem valor. Queremos fazer sempre mais e melhor. O tempo irá ser prova de que é possível construir uma indústria brasileira competitiva e inovadora, com padrão internacional que já trouxe, traz e ainda trará bons frutos e encherá de orgulho a todos que vivem essa paixão que é a gaita.

Vamos em frente até chegar no timbre ideal para cada tipo e necessidade.

Melk Rocha e Renata Rigout.

www.bends.com.br

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

fusões e aquisições do blues

Recado do Helton Ribeiro, um dos heróis do blues no Brasil

Caros amigos e leitores,

Ano novo, revista nova! A convite da Jazz+, que voltou a circular – agora tendo o produtor e empresário Stenio Mattos como um de seus sócios –, decidi fundir a Blues’n’Jazz a ela. É uma atitude ousada no mercado editorial, que resultará em uma revista maior, com mais conteúdo e que será, com certeza, uma das principais publicações de música do país.

Em fevereiro sairá a nova Jazz+, da qual sou agora editor. O título Blues’n’Jazz deixará de circular, depois de 13 anos de atividade.

Um grande abraço e felicidades em 2009!

Helton Ribeiro
(11) 5072-2765 / 8555-7702
heltonribeiro@terra.com.br

bendito blues nesta sexta

no vinnil

para quem gosta de rock, blues e pop, e de muita gaita, eu recomendo fortementemente este show, que é um oásis no marasmo belo horizontino de janeiro

na gaita, senhor samir chammas

não percam

sábado, 10 de janeiro de 2009

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

árvore de gosto duvidoso

embalagem para gaitas

desde quando a bends lançou suas gaitas, eu já falava com o melk que eles deviam vender a embalagem separadamente.

quando eu fui prá Buenos Aires no fim de 2007, eu encontrei com a Mari e mostrei prá ela a juke. Ela achou a gaita bacana, mas ficou tão apaixonada com a embalagem que eu tive que deixar com ela ;-)

eis, para a minha felicidade, que descubro no site da harmonicamaster que agora a embalagem está à venda por 17 reais (pode não ser uma novidade, confesso que não ia na loja havia um bom tempo)

claro que a gente joga o preço das coisas baseado em quanto pagam e não em quanto vale. Mas se a embalagem custa 17 reais pro consumidor, qual o impacto deste preço no preço da gaita bends nova? Será que o cliente gostaria de optar pagar menos e não levar a embalagem?

de qq forma, a bends tem lá suas estratégias. e no fim das contas, fico contente pq a embalagem realmente é prática, especialmente prá quem gosta de andar com a gaita no bolso e não quer que fiapos de tecido travem suas palhetas na hora H.

ainda sobre harmonicamaster, neste começo de ano, eu e a lud demos um pulo em sampa (por algumas horas e morrendo de sono... sorry clara e cris. desta vez não deu) e logo depois em santos, onde visitamos o casal Morenno e sua linda filha Malu.

Fiquei muito satisfeito, ao conversar com eles, em saber que tudo está bem, que estão cheio de planos para o futuro e que Santos experimenta uma revitalização cultural na região do centro. Bons ventos sopram por lá. Stay tuned.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Ferrari na TV

Na edição de hoje do "Claro Conectado", às 21h, na MTV, a VJ Luiza Altoé bate papo com os músicos Rafael Carneiro e Leandro Ferrari

Reprises: 10/01 e 17/01 (sábado) 15h
14/01 (quarta) 21h

http://www.mtvminas.com.br/