terça-feira, 17 de maio de 2005

quem é quem - diogo farias

Um belo dia apareceu um cara na lista do gaita-l propondo trocar cds de mp3 de gaita. Na época, eu tinha feito meus cds de mp3 para poder emprestar para outros gaitistas de BH no que eu chamava de "equalização de conhecimento". Não adianta vc conhecer um monte de gaitistas se eles não sabem do que vc está falando, então minha idéia na época era passar o mais rápido possível daquela fase inicial de ficar aplicando coisas aos pouquinhos até a coisa chegar na coisa realmente interessante.

Mas aí eu topei. O cara me mandou 1 cd com um monte de coisas, e eu mandei meus 10 de volta. Pensei com meus botões, "é um garoto que acha que tem mp3 achando que napster é lento demais". Eu costumava ser bem convencido naquela época e achava realmente que sabia muito mais que a média. Passou um mês e como o menino não respondeu, eu pensei "coitado, ele não tem mais o que mandar". Aí chega um pacote com 15 cds de mp3, só de coisas que eu não tinha mandado, com capas scaneadas e tudo. Aí eu fiquei assustado.

Só recapitulando: 10 cds de mp3 são mais ou menos 8 GB de mp3.

Era eu agora quem não tinha mp3 para mandar.

Anos depois o menino veio para BH, animadíssimo pq ia fazer uma especialização em cirurgia de mão e ia morar aqui. Foi quando eu descobri que o menino na verdade era um cara da minha idade (ou ligeiramente mais velho) casado e que tocava gaita absurdamente, e tinha um conhecimento de microfones, amplificadores, gaitistas, técnicas, fora do normal. Em poucos meses o cara já estava tocando na cidade.

Fora isso, coisas que devo ao diogo: o workshop do sweet mama, o workshop de troca de palhetas e manutenção, dicas inestimáveis de regulagem de amp para gaita, o microfone bullet atual que uso, toneladas de músicas bregas (o cara é expert em música brega), a Michele - que é a mulher dele, uma figura fantástica - e meus pulsos, que seriam diagnosticados como LER quando na verdade não era LER, pq ao contrário do ortopedista mercenário, ser examinado por um médico cirurgião de mão que está fazendo especialização com o Pardini é literalmente a salvação da lavoura. Ou seja, um bocado de coisa. O sujeito tinha energia suficiente prá me fazer desconfiar se ele tinha um reator embutido no tórax ou coisa do tipo.

Diogo e Michele ficaram mais ou menos um ano aqui em BH, mas foi um ano muito bom. Tenho muita saudade dos dois e estou esperando ansiosamente pelo carnaval do ano que vem em Guaramiranga. Vou juntar a grana e o tempo que não tenho para ir nesse treco. Eu brinco dizendo que gaita é igual Rotary, vc se sente em casa em qualquer lugar.

3 comentários:

  1. Roberto Maciel30/05/2005 08:12

    Tudo faz sentido. O maior sentido. Assino embaixo e ainda conto vantagem: o Diogo é meu camarada aqui em Fortaleza.

    ResponderExcluir
  2. eu sou malucaço para aprender este maravilhoso instrumento,que e a gaita ando fortalezo e procuro ir atras de pessoas que saibam tocar para poder me ensinar mas nao acho de jeito nenhum. por favor alguem esta disponivel de me ensinar??????
    ficarei muito agradecido!!!
    meu endereço de email e dieguin_isa@hotmail.com!!!!
    minhas saudaçoes DIEGO GUTIERREZ.

    ResponderExcluir
  3. vai no harmoônicas do ceará que vc acha os caras

    ResponderExcluir